Abrappe e Abras no caminho certo da prevenção de perdas

Abrappe e Abras no caminho certo da prevenção de perdas

Sai Carlos Eduardo Peruzzi, entra Gernaldo Gomes. O coordenador de Prevenção de Perdas e Sistema de Gestão da Cooperativa de Consumo (Coop) é o novo coordenador do Comitê de Prevenção de Perdas e Desperdício de Alimentos da Associação Brasileira de Supermercados (Abras) pelos próximos dois anos. O anúncio foi feito em julho.

Tanto Peruzzi quanto Gomes são conselheiros da Abrappe. Em 2020, de maneira inédita, Abras e Abrappe uniram suas forças para promover o levantamento de perdas do setor supermercadista (baixe aqui o PDF da 20ª Avaliação de Perdas no Varejo Brasileiro de Supermercados). “As duas associações estão no caminho certo, fazendo um trabalho essencial na disseminação da cultura de prevenção de perdas no Brasil”, destaca Gomes.

De acordo com Gomes, Abrappe e Abras devem continuar unindo esforços para que a prevenção de perdas ganhe cada vez mais qualidade e amplitude no varejo brasileiro. Confira a entrevista do novo coordenador da Abras à newsletter da Abrappe.

1 – As últimas pesquisas da Abras têm apontado a média anual de perdas abaixo de 2%. Em 2019, esse índice foi de 1,82% e no ano anterior, de 1,87%. É possível termos taxas ainda menores?
Com certeza há muita oportunidade de melhoria no índice geral de perdas, assim como há oportunidade de melhorar as representatividades da identificação das perdas conhecidas e redução de desperdícios de alimentos. Desdobrando o indicador, nota-se que existe grande variabilidade por região, por exemplo. Isso se deve aos diferentes níveis de maturidade de gestão em prevenção de perdas entre os supermercadistas.

2 – É uma utopia, sem dúvida, pensarmos em perdas zero…
Sim, do ponto de vista de resultado, é importante dizer que não existe perda zero, mas há sim o ponto de equilíbrio. Ou seja, cada varejista deve encontrar seu ponto de equilíbrio para definir sua meta de perda garantindo que não sacrifique a venda e obtenha o maior lucro possível.

3 – A pesquisa 2020 da Abras apontou também que 71% das empresas supermercadistas têm área de prevenção de perdas e 29% não. E entre as varejistas que disseram não ter, 25% deles acham que não justifica o investimento. Aqui, certamente, entra o grande problema da falta de cultura de prevenção de perdas. Como o comitê pretende trabalhar isso?
Vejo que a alta direção das empresas varejistas entendem cada vez mais a necessidade de investir em prevenção de perdas e combate aos desperdícios, porém, ainda há muito que evoluir, não só em investimento, mas em aperfeiçoamento de cultura, tornando cada vez mais a área de prevenção de perdas estratégica e protagonista nas organizações. Nesse sentido, o comitê Abras tem profissionais da mais alta qualificação e experiência, assim como a Abrappe, que atuam nas diversas regiões do país e tamanho de faturamento no varejo, os quais contribuem trazendo ao comitê as melhores práticas de mercado. Com isso vamos fomentar a inovação para alcançarmos o nosso propósito, demonstrando a todos a capacidade de geração de ganhos da área, não só do ponto de vista econômico, mas também social.

4 – Propagar a cultura da prevenção de perdas é uma das missões da Abrappe. E quando o reporte da área é diretamente feito à presidência, como aponta a pesquisa, pode-se dizer que o trabalho da Abrappe e do Comitê da Abras está no caminho certo?
Com certeza, as duas associações estão no caminho certo fazendo um trabalho essencial na disseminação da cultura de prevenção de perdas no Brasil. Isso reflete na evolução de diversos indicadores de gestão do varejo nacional, inclusive esse de reporte da área de prevenção de perdas feito às mais altas hierarquias das empresas.

5 – Como analisa o trabalho que já vem sendo executado pela Abrappe, que reúne profissionais dos maiores varejos do país?
O trabalho da Abrappe tem sido fundamental para a prevenção de perdas no Brasil, inclusive, trazendo um novo conceito de gestão de riscos que é a visão da perda ampliada nos diversos segmentos do varejo brasileiro. Isso é muito importante, não só para cada profissional do setor, mas também para as empresas varejistas que melhoram seus resultados. Acredito muito no propósito da Abrappe que é tornar a área de prevenção de perdas estratégica e que gera lucro, pois o objetivo de qualquer empresa é ser perene no negócio que opera, e para tanto, é necessário ter lucro sustentável, ou seja, os propósitos estão totalmente convergentes.

6 – Além da própria pesquisa, de que forma é possível haver maior sinergia entre Abrappe e Abras?
Entendo que a Abras e Abrappe estão no caminho certo e devem continuar unindo os esforços para cada vez mais ganhar em qualidade e amplitude.

7 – Que cenário de prevenção de perdas prevê para 2020/2021, especialmente em um momento tão atípico do varejo brasileiro com a pandemia?
Acredito que o cenário de prevenção de perdas para 2020/2021 é bastante desafiador. Porém, para realizar essa análise, primeiro precisamos fazer uma segmentação de mercado, pois o varejo é muito amplo e o Brasil é um país de dimensões continentais. O varejo supermercadista, por exemplo, teve um excelente resultado no primeiro semestre de 2020, tanto em relação ao índice de perdas, quanto receitas e principalmente no resultado da última linha, inclusive com crescimento no e-commerce o que acelerou a transformação digital nas empresas.

8 – Então, no caso da prevenção de perdas, aumenta o desafio em relação à acurácia dos estoques no varejo supermercadista?
Para esse segmento, nesse contexto, acredito que o cenário será bastante desafiador, pois, além da acurácia dos estoques, melhoria de processos e engajar as pessoas, deveremos trabalhar muito forte as questões de parâmetros de abastecimento. Devido a essa causa especial, houve e continuará havendo, mudanças no comportamento dos clientes e, caso sejam bem feitas essas lições de casa, há grandes chances dos índices de perdas serem ainda melhores do que vimos nessa última pesquisa Abras.

Fonte: Associação Brasileira de Prevenção de Perdas

3 Comments
  • aparecido
    Postado em 15:21h, 09 setembro Responder

    excelente texto

  • Barros
    Postado em 17:26h, 13 setembro Responder

    Parabéns Gomes pela percepção e discernimento.

  • barros
    Postado em 17:29h, 13 setembro Responder

    Parabéns Gomes pela percepção e o discernimento.

Post A Comment