Criado Comitê de Segurança com mais de 20 profissionais

Criado Comitê de Segurança com mais de 20 profissionais

Ao completar seu terceiro aniversário de fundação, a Associação Brasileira de Prevenção de Perdas (Abrappe) apresentou, oficialmente, em setembro, o seu Comitê de Segurança, sob a tutela de Jerome Mairett, diretor de Operações e Riscos do Carrefour Brasil. Com ele, a associação conta com 20 profissionais diretos e vários outros indiretos engajados nesse novo grupo e está de portas abertas para o recebimento de críticas e sugestões.  

Para a Abrappe, que reúne mais de 600 empresas varejistas e mais de 2 mil profissionais de prevenção de perdas e gestão de riscos, é motivo de orgulho a criação do Comitê de Segurança, especialmente em um momento em que a área de segurança do varejo é questionada em razão de recentes episódios retratados pela imprensa em alguns segmentos varejistas. 

Desde a sua fundação, em setembro de 2018, a Abrappe trabalha engajada para que as operações das redes varejistas sejam cada vez mais seguras e, dessa forma, consequentemente, mais rentáveis e lucrativas para as companhias, sempre respeitando, acima de tudo, os direitos dos clientes, funcionários e, principalmente, os valores humanos. “Por isso mesmo o tema segurança sempre esteve dentro de nossas prioridades e tratada com muita relevância”, revela Carlos Eduardo Santos, presidente da Abrappe.  

A Abrappe já vinha amadurecendo desde 2020 a ideia da criação do Comitê de Segurança. Durante o Fórum Abrappe de Prevenção de Perdas, realizado no dia 9 de junho de 2021, com a presença do promotor Fernando Capez, secretário Estadual de Defesa do Consumidor e diretor-executivo do Procon/SP, a entidade abriu um amplo diálogo acerca do tema “segurança pública”. “O diálogo foi aberto e será ampliado, sempre em busca de soluções que sejam positivas à sociedade, às companhias varejistas e à economia como um todo”, destaca o presidente da Abrappe.  

A Abrappe está criando um plano de trabalho do Comitê de Segurança. Por meio dele, serão identificados e estabelecidos protocolos de segurança, além de estudo com profundidade sobre os casos de crise para o estabelecimento dos parâmetros de ação para todos os varejistas. Alguns protocolos já foram desenvolvidos por Jerome e sua equipe, com abordagens sobre Desvio de Mercadorias, Gestão de Conflitos e Relação com Autoridades. Em entrevista à SA Varejo, o executivo do Carrefour destacou que a discussão é importante, pois o conflito, hoje, pode acontecer em diversas situações. Até mesmo no caixa, por causa do preço de algum produto, e alguém filmar e levar às redes sociais”. 

Por fim, assim como faz anualmente com a pesquisa de perdas, a Abrappe pretende desenvolver estudos recorrentes de criminalidade no setor, colhendo dados e criando índices de ocorrências. Para isso, a associação espera contar com o apoio de todos os varejistas, de executivos a gestores, para o levantamento periódico por meio de uma plataforma segura e colaborativa.  

Com os dados atualizados em total respeito a todas as legislações vigentes, incluindo a Lei Geral de Proteção de Dados (Lei nº 13.709/18 – LGPD), a Abrappe visa criar um fórum permanente de discussão com os órgãos públicos e esferas jurídicas em todos os níveis de governo, do municipal ao federal. “A associação quer, e vai, contribuir com a construção de um varejo que observe e respeite todos os pilares, combatendo o racismo, preservando a diversidade e sendo solidário com o cidadão e a sociedade”, diz Santos.  

No Comments

Post A Comment