Tecnologia, uma aliada no combate às perdas no varejo

Tecnologia, uma aliada no combate às perdas no varejo

Você, varejista, tão habituado a trabalhar com as margens super apertadas, sabe quanto seu negócio perde por ano? Sejam perdas originárias por vencimento de produtos, erros operacionais e furtos internos ou externos. Pois bem, saiba que a prevenção de perdas no varejo passa pela definição de processos, capacitação de pessoas e pela aplicação de tecnologia que torna a operação mais segura e ágil.

Para reverter esse cenário de perdas no varejo em geral, que é amplamente dominado por quebras operacionais (36%), furtos externos (24%) e furtos internos (13%), como aponta a 3ª Pesquisa Abrappe de Perdas no Varejo, investir em tecnologia é mandatório. Há muitas soluções já aplicáveis e que seguem evoluindo no país.
A tecnologia é a chave para o varejista rentabilizar seu lucro com a redução nas perdas. A automatização de processos e, principalmente, a integração de informações, possibilita maior agilidade, controle e ganho de produtividade. Trocando em miúdos, hoje é praticamente impossível fazer a prevenção de perdas no varejo sem ferramentas que incluam machine learning, inteligência artificial, e geolocalização, etc.

Combater perdas no varejo, da entrada à saída

O uso da tecnologia é fundamental na entrada e saída de produtos na retaguarda e de pessoas nas lojas. Há perdas em todas essas frentes e controlá-las permite não apenas identificar os locais de incidência de perdas no varejo, como também minimizar as ocorrências. Com um bom sistema de monitoramento, como o CFTV, o varejista pode, por exemplo, “acompanhar” a mercadoria em cada um dos processos, do recebimento no CD à chegada nas gôndolas, e até analisar o desempenho e atitudes suspeitas de seus colaboradores nas operações. Para controle de estoque, ferramentas como coletores de dados e de recebimento são indispensáveis.

Para diminuir as perdas no varejo de produtos expostos ao público, é usual o varejista investir nos cadeados eletrônicos e antenas antifurtos. Ainda no ambiente da loja, a frente de caixa merece uma atenção ainda mais especial, pois o PDV é um dos pontos mais sensíveis de perdas na loja. Para essa área, o mercado de proteção eletrônica disponibiliza sistemas de monitoramento que apontam com extrema precisão os erros operacionais e as tentativas de fraudes de clientes e operadores de caixa.

O varejo alimentar perde, ainda, por falhas de equipamentos resfriados, por exemplo. No entanto, dispositivos de IOT possibilitam a centralização do monitoramento de refrigeradores nas lojas e, em caso de aumento de temperatura, protegem as mercadorias.

As soluções de prevenção de perdas mais utilizadas

Como dizem consultores, não existe uma solução mágica, única ou infalível em prevenção de perdas. Mas a utilização da tecnologia aliada às normas, procedimentos e pessoas qualificadas e motivadas, pode reduzi-las potencialmente.

De acordo com a 20ª Avaliação de Perdas no Varejo Brasileiro de Supermercados, elaborada pela Associação Brasileira de Supermercados (Abras) em parceria com a Associação Brasileira de Prevenção de Perdas (Abrappe), a tecnologia mais utilizada nas lojas do setor é o alarme de acesso, com 87,7%. Com 86,8%, o CFTV vem na segunda posição, seguida pelos coletores de dados para inventários, com 87,2%. Ainda na lista dos equipamentos tecnológicos mais utilizados pelo varejo supermercadista estão o coletor de recebimento (86,8%), rádios comunicadores (74,6%), softwares de monitoramento (71,2%), central de monitoramento remoto (64,6%), solução de monitoramento de frente de caixa (61,3%) e cofre inteligente (60,5%).

Fonte: Abrappe

 

1 Comment

Post A Comment